Outubro/2008

Segunda-feira (15/10)

10hs A Concepção Agostiniana do Tractatus | Rafael Canto (UERJ)

11hs O simbolismo intransitivo das proposições segundo o Tractatus de Wittgenstein | Marcos Antonio da Silva Filho (PUC-Rio)

14hs Hobbes, o Estado Leviatã e a igualdade na sociedade civil | Leonardo Couto (PPGF-UFRJ)

15hs Da força do costume e sua relação com a natureza | Marisa Mossmann (UFPR)

16hs A supressão da intuição como condição de possibilidade de apreensão da consciência em sua especificidade | Leonardo Almada (PPGF-UFRJ)

Terça-feira (16/10)

10hs A denotação na semântica de Russell entre 1903 e 1905 | Ana Maria Corrêa (PPGLM-UFRJ)

11hs O Problema da Analiticidade: a formulação de W. Quine | Nastassja Saramago (PUC-Rio)

14hs Vestígios Filosóficos: Liberdade e Revolução em Hannah Arent | Daner Hornich (PUC-SP)

15hs A verdade e o âmbito normativo segundo Hans Kelsen | Juliele Maria Sievers (UFSM)

Quarta-feira (17/10)

10hs A Impossibilidade do Discurso Falso segundo as Teses de Parmênides| Renato Matoso Brandão (PUC-Rio)

11hs Aristóteles e Protágoras: breve nota sobre a sensação | Juliana Aggio (USP)

14hs A Necessidade do Passado Implicaria o Determinismo? | Fernanda Lobo (PPGLM-UFRJ)

15hs A refutação do platonismo na Unidade do Intelecto contra os Averroístas | Markos Klemz Guerrero (PPGLM-UFRJ)

Quinta-feira (18/10)

10hs O interlocutor de Heidegger e a questão do acesso às coisas na analítica do Dasein | Germano Nogueira (PPGLM-UFRJ)

11hs Uma Ontologia em Nietzsche? – Sobre a Frase “O valor do mundo é invalorável” | Bernardo Carvalho (PUC-Rio)

14hs A música no processo de superação da arte em Hegel – a tonalidade como verdadeiro e indícios de superação da tonalidade em diálogo com Adorno | Marlon Trindade (UFOP)

15hs Acerca do Conceito de Liberdade em Schelling | Klinger Scoralick (UFJF)

Sexta-feira (19/10)

10hs Duas questões sobre a abstração em Descartes | Maria Cecília Barbosa (PPGLM-UFRJ)

11hs Da metafísica cartesiana à existência | Fábio Cristiano de Moraes (USP)

14hs Universalidade e finalidade do belo segundo Kant | Luiz Otávio Goulart (UFOP)

15hs Por que Kant não é um intuicionista? Algumas notas sobre uma possível inspiração kantiana em Filosofia da Matemática | Fábio François (PUC-Rio)

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: